Responsabilidade civil por erro médico em cirurgias plásticas

Autores/as

Palabras clave:

responsabilidade civil, erro médico, código de defesa do consumidor, subjetividade, beleza

Resumen

Com o Brasil no pináculo da lista dos países que mais realizam cirurgias plásticas no mundo, é indubitável que a consequência direta disso é a demanda, no Poder Judiciário, de indenizações por erro médico. A responsabilidade civil do médico sempre será aferida mediante a culpa stricto sensu, carecendo, para tanto, uma ampla produção de provas, mormente de análises profissionais. Destarte, buscamos mostrar a importância e o funcionamento da relação médico- paciente, perfazendo-se nevrálgica para obtermos o binômio esclarecimento-consentimento, instrumento eficaz para efetivar as garantias de acesso à saúde e à informação, conforme estudo novel junto à Constituição Brasileira de 1988. Nesse contexto, buscamos demonstrar que a relação médico-paciente possui alicerces do Código de Defesa do Consumidor, sendo, portanto, uma relação consumerista. Ademais, construímos um pensamento acerca da diferença entre obrigação de meio e resultado, enfrentando os dilemas e detectando uma posição equivocada do Superior Tribunal de Justiça ao caracterizar a cirurgias plásticas com fins meramente estéticos como obrigação de resultado. Assim, quando constatado o equívoco, trabalhamos em cima de argumentações plausíveis e suficientes para afastá-lo, mormente no sentido de que o conceito de belo é subjetivo e, portanto, é possível que um indivíduo encontre deformidade onde outro enxerga beleza. A partir disso, propomos uma revisão desse paradigma jurisprudencial equivocado, para que as mudanças sejam implementadas no nosso ordenamento jurídico na toada médica.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Biografía del autor/a

Profª Dra. Priscila Luciene Santos de, Centro Universitário Social da Bahia

Doutora em Direito

Citas

BRASIL. Superior Tribunal de Justiça (3. Turma). REsp 1.180.815/MG. RECURSO ESPECIAL 2010/0025531-0. Relatora Ministra NANCY ANDRIGHI. Órgão Julgador T3- TERCEIRA TURMA. Data do julgamento: 19/08/2010. Data de publicação DOU: 26/08/2010.

COLTRO, P. O Brasil ultrapassou os Estados Unidos e se tornou o país que mais realiza cirurgias plásticas no mundo. SBCP Blog, 13 fev. 2020. Disponível em: http://www2.cirurgiaplastica.org.br/blog/2020/02/13/lider-mundial/. Acesso em: 29 out. 2023.

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Justiça em números 2018: ano-base 2017. Brasília: CNJ, 2018. Disponível em: https://www.cnj.jus.br/programas-e-ações/pj-justiça-emnumeros. Acesso em: 02 nov 2023.

DE SALVO VENOSA, S. Direito Civil: obrigações e responsabilidade civil. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2019.

DE CARVALHO CAMPOS, V.; RONDINA MANDALITI, R. Responsabilidade Civil do Médico Cirurgião: a imprevisibilidade à Luz do Direito Civil. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2019.

DUARTE, R. O belo autônomo: textos clássicos de estética. 2. ed. São Paulo: Editora Autêntica, 2012.

HEIM, M. apud SÁ MARTINO, L. Teoria das mídias digitais: linguagens, ambientes, redes. Petrópolis: Vozes, 2014. p. 40.

IBOPE INTELIGÊNCIA. O Brasil e os influenciadores digitais. 2019. Disponível em: https://static.poder360.com.br/2019/11/Influenciadores-digitais-ibope.pdf . Acesso em: 04 nov 2021.

KFOURI NETO, M. Culpa médica e ônus da prova. 1. ed, São Paulo: Revista dos Tribunais, 2002.

MAGRINI, R. Médico: cirurgia plástica reparadora e estética: obrigação de meio ou de resultado para o cirurgião. Revista dos Tribunais, São Paulo, v.92, n.809, p.137-163, mar. 2003. Disponível em: https://dspace.almg.gov.br/handle/11037/35489. Acesso em: 03 nov 2023.

RABINOVICK-BERKMAN, R. apud ROSENVALD, N.; DADALTO, L.; BEZERRA DE MENEZES, J. Responsabilidade Civil e Medicina. 9. ed. Indaiatuba: Editora Foco, 2020. p. 114.

ROSADO DE AGUIAR JÚNIOR, R. Responsabilidade civil do médico. In: TEIXEIRA, Sálvio de Figueiredo (Coord.). Direito e medicina: aspectos jurídicos da medicina. Belo Horizonte: Del Rey, 2000.

ROSENVALD, N.; DADALTO, L.; BEZERRA DE MENEZES, J. Responsabilidade Civil e Medicina. 9. ed. Indaiatuba: Editora Foco, 2020.

SANTO, N.; BISACCIA, C.; SANTO, L.; CIRILLO, M.; RICHET, G. Pierre-Joseph Desault (1738-1795) - a forerunner of modern medical teaching. J Nephrol, v. 16, n. 5, p. 742-753, set./out. 2003. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/14733424/. Acesso em: 04 nov 2023.

TAVARES DA SILVA, R. (Coord). Responsabilidade civil: responsabilidade civil na área da saúde. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2009.

VELOSO FRANÇA, G. Direito Médico. 17. ed. Rio de Janeiro: Editora Forense, 2021.

Publicado

29-06-2024

Cómo citar

Profª Dra. Priscila Luciene Santos de, Henrique Bonadio , I. y de Miranda Freire Neto , L. (2024) «Responsabilidade civil por erro médico em cirurgias plásticas», Cadernos de Dereito Actual, (24), pp. 23–36. Disponible en: https://www.cadernosdedereitoactual.es/ojs/index.php/cadernos/article/view/1148 (Accedido: 23 julio 2024).