O Contrato Sexual e o debate sobre a negação da esfera pública à mulher no Direito Brasileiro

Felipe Fróes Couto, Lorena Fonseca, Alexandre de Pádua Carrieri

Resumen


O contrato sexual é um conceito que mostra, em uma perspectiva política e histórica, como a constituição da sociedade se fundamentou na negação da condição humana à mulher. O objetivo deste ensaio é criar delineamentos sobre o conteúdo dessa teoria, de maneira didática e não-exaustiva, vinculando-a à realidade brasileira. Nosso argumento é que, a partir da teoria suscitada pela Carole Pateman, é possível afirmar que, em função da estrutura patriarcal da sociedade, à mulher pode ser relegado o status não de sujeito, mas de propriedade, cujo âmbito de liberdade não alcança as esferas públicas, onde as verdadeiras liberdades civis são exercidas. O texto traz à tona questões de poder que se fundamentam nas estruturas invisíveis do patriarcado e também aponta como o direito brasileiro construiu e reformulou suas disposições legais neste ambiente de inferiorização e de negação de voz às mulheres.


Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias


ALVES, M. A.; GALEÃO-SILVA, L. G. “A crítica da gestão da diversidade nas organizações”. RAE-revista de administração de empresas, v. 44, n. 3, p. 20-29, 2004.

ARENDT, H. A condição humana. 8. edição. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1997.

BANDEIRA, L. “Três décadas de resistência feminista contra o sexismo e a violência feminina no Brasil: 1976-2006”. Sociedade & Estado, v. 24, n. 2, p. 401-438, 2009.

BARBOSA, C.; TESSMANN, D. F. “Violência sexual nas relações conjugais e a possibilidade de configurar-se crime de estupro marital”. Judicare, v. 6, n. 1, 2014.

BERGER, P. L.; LUCKMANN, T. Construção social da realidade. Petrópolis: Vozes, 1978.

BIROLI, Flávia. “O público e o Privado” in MIGUEL, Luis Felipe; BIROLI, Flávia. Feminismo e política: uma introdução [digital, s.p.]. São Paulo: Boitempo, 2014.

BRASIL. Código Civil de 1916 (revogado).

______. Código Civil de 2002.

______. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988.

______. Lei nº 4.121 de 27 de agosto de 1962. Dispõe sobre a situação jurídica da mulher casada.

______. Lei n. 11.340 de 7 de agosto de 2006. Cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher.

BRONNER, S. E. Da teoria crítica e seus teóricos. Papirus, 1997.

CHAUÍ, M. “Estado de Natureza, contrato social, Estado Civil na filosofia de Hobbes, Locke e Rousseau”. Filosofia. Ed. Ática, São Paulo, 2000.

FARIAS, C. C.; ROSENVALD, N. Direito dos contratos. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2011.

GONÇALVES, C. R. Direito civil brasileiro: Contratos e atos unilaterais. V. 3, 11. ed. São Paulo: Saraiva, 2014.

HABERMAS, J. Mudança estrutural da esfera pública: investigações quanto a uma categoria da sociedade burguesa. V. 357. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1984.

PATEMAN, C. O Contrato Sexual. Trad. Marta Avancini. Rio: Paz e Terra, 1993.

SARAIVA, L. A. S.; DOS REIS IRIGARAY, H. A. “Políticas de diversidade nas organizações: uma questão de discurso?” RAE-Revista de Administração de Empresas, v. 49, n. 3, p. 337-348, 2009.

VASCONCELOS, M. A. L.; PONTES, I. O.; SILVA, J. W. P. S. “Violência sexual nas relações conjugais e a possibilidade de configurar-se crime de estupro marital”. Cadernos de Graduação, v. 2, n. 3, p. 1-15, 2015.

VENOSA, S. S. Direito civil: teoria geral das obrigações e teoria geral dos contratos. Atlas, 2007.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c) 2018 Cadernos de Dereito Actual




 

Cadernos de Dereito Actual

www.cadernosdedereitoactual.es

© 2013 por Xuristas en Acción.  

ISSN impreso: 2340-860X. ISSN electrónico: 2386-5229

 

Indexada en | Indexed by: